Pedra da Boca – Araruna PB


No último dia 10 de outubro de 201o, Ricardo, eu e nossa amiga Luana, fomos fazer trilha e rappel no Parque Estadual da Pedra da Boca que fica localizado no município de Araruna, na Paraíba, à 160Km de João Pessoa.

O Parque Estadual da Pedra da Boca é uma área de 175 hectares de formações rochosas que tem como destaque uma pedra de 336 metros de altura que apresenta uma grande cavidade a 60 metros do seu cume, que se assemelha a uma grande boca aberta, daí o nome (A quem diga que é a boca da Cicarelli).

O local é ideal para a prática de esportes radicais como rappel, escalada e salto de asa delta. No entanto, o parque reserva muito mais, com diversas trilhas a pé e de bike, grutas, cavernas, riachos, além de outras formações rochosas interessantes como a Pedra da Caveira e a Pedra do Letreiro e a natureza da caatinga, com seus cactos, macambiras, urtigas, xique-xique, imbuzeiro, entre outras.

Fomos pela empresa da Cleide (http://www.ac2tur.com/), aqui de João Pessoa, que organiza várias trilhas pela Paraíba e outros estados do Nordeste. Saímos às 05h30min. Quando chegamos, por volta de oito e uns quebrados, conhecemos o Seu Tico (responsável pelo parque e também guia das trilhas), um senhor de meia idade, super simples, mas super gente finaaaaaa, O cara que é a “cara” da Pedra da Boca. Não deixe de fazer a trilha com ele. Além dele, conhecemos o Júlio que organiza o rappel e as escaladas e que também é outro cara muito gente boa, educado e alto-astral.De imediato, a turma foi dividida em dois grupos, já que alguns queriam começar fazendo o rappel (que era nosso caso) e o outro grupo queria fazer primeiro a Trilha da Integração (a que ficou para o nosso roteiro) e a visita a uma pedra mais apropriada para o rappel de iniciantes.

Como ficamos para fazer o rappel ainda de manhã, fomos com o Júlio que organiza o equipamento e nos dirige ao rappel de 60 metros na Pedra da Boca. Iniciamos com uma bela “subida” de pedra. De lá, é curtir o visual, ir no cume da Boca, e depois, descer de rappel (quantas vezes quiser, como diz o Júlio).

Eu e Luana nunca tínhamos feito rappel, mas mesmo assim, aceitamos o desafio e RECOMENDAMOS. Super traquilo, um visual incrível e muita segurança e atenção dos meninos da equipe do Júlio. Eu e Ricardo fizemos duas vezes. OBS: Esse é um rappel sem negativo. Mas, o Parque oferece rappel de várias alturas e com diferentes opções de negativo.

Depois, parada para o almoço caseiro, mas delicioso no Seu Tico. Não é nada sofisticado não pessoal, mas tem o necessário para repor as energias perdidas e recarregar para a trilha (arroz, feijão, saladinha crua, macarrão, e dois tipos de carne – no nosso dia, um maravilhoso bode e frango assado ou cozido).


Finalizado o rango, inicio da trilha da integração com Seu Tico. Show de Bola!!! A trilha dura três horas, mas não é cansativa. O fato é que Seu Tico faz várias paradas para esclarecer a natureza da caatinga e dar várias dicas de como viver nessa região sem comida como ele viveu. Não estranhe se no meio do caminho ele parar e lhe oferecer uma lagartinha branquinha comestível (com gostinho de côco verde, delícia!) que vive dentro de um tipo de coquinho, ou te mostrar como se faz um fio dental ou uma agulha e uma linha com as plantas da região, além de seivas cicatrizantes e medicinais e outras curiosidades.

Tudo isso sempre subindo muito, descendo pouco, se baixando bastante ou se arrastando algumas vezes pela trilha. Ao longo do trajeto passamos por várias formações de pedra e temos que nos pendurar, escalar e atravessar as grutas. Muito divertido e revigorante, afinal, ar puro, atividade física, natureza diferenciada e típica da nossa região.

 Fim do dia, sorvete, água… e, no nosso caso, retorno, mas quem quiser ficar vamos deixar algumas dicas:

O Sítio do Seu Tico é um local simples, mas tranqüilo para acampar ou se hospedar. E oferece as alimentações de um jeito simples também, mas bem gostoso. As aventuras são diversas e um final de semana pode proporcionais alegrias inesquecíveis. Acaso queiram mais conforto, a cidade de Passa Fica (RN) é bem próxima e possui pousadas e restaurantes.

No mais, o sol, como em todo local do nordeste, é de rachar, portanto, chapéu ou boné e protetor solar.

Por fim, queria deixar só uma reivindicação às autoridades estaduais da Paraíba, para repensarem o santuário construído no meio do parque. Nada contra os devotos ou a Igreja, contudo, estamos em um ambiente abençoado por Deus por todos os lados. Natural e belo por ser inexplorado, assim: Será mesmo necessário manter aquele santuário de “concreto” no meio do parque????

Valeu pessoal!

Esse post foi publicado em Pedra da Boca - Araruna - PB e marcado , . Guardar link permanente.

7 respostas para Pedra da Boca – Araruna PB

  1. Duane disse:

    Olá, belo passeio! Mas me respondam uma coisa por favor: o euqipamento com o qual vocês fizeram o rapel…Vocês que levaram? Ou lá há pessoal com equipamento, e que possa instruir iniciantes e tal? Agradeço a informação!

    • mariekika disse:

      Boa tarde Duane,

      o profissional (júlio) tem todo o equipamento e mora lá, não precisa levar nada de equipamento, é só levar coragem que ele vai te orientar em tudo (ótimo profissional ele). Neste domingo 12/12 iremos pra lá. Se você for de João Pessoa e quiser ir conosco entre em contato até amanhã, pelo e-mail 79.castro@gmail.com – Ricardo ou Mariana

      bjao

  2. maria do socorro silva barros disse:

    qualo nome do santuario

  3. Hadassa disse:

    Olá!! Bom dia!!
    Adorei esse post sobre o Parque Estadual da Pedra da Boca..muito bom mesmo..parabéns!!

    Mas eu gostaria de saber se vc teria os contatos do seu Tico e do Júlio..me interessei bastante..abraço

  4. Lisboa disse:

    que tipo de corda é usada no rapel?? dinamica estática semi-estática…. os equipamentos são certificados pela uiaa tem ca ou ce??é usado uma corda de segurança? qua é a carga de roptura das cordadas e mosquetões?

    • Ricardo / Mariana disse:

      Boa tarde, a corda que usam lá é dinâmica. Os equipamentos tem certificações sim. Não usamos corda de segurança, mas a corda usada e os mosquetões tem a capacidade de ruptura de mais ou menos 3 Toneladas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s